fbpx

Janeiro está a chegar ao fim e com ele o ano do Boi (ou Búfalo)! Também lhe parece que passou a correr?

Chegados a esta altura, de acordo com vários estudos, 70% das pessoas já abandonaram as suas resoluções de Ano Novo (logo na primeira semana!). Segundo estes apenas 8% das pessoas cumprirá aquilo a que se propôs ao som das 12 badaladas.

A elevada percentagem de abandono, é um dos motivos porque a terceira segunda-feira do mês de janeiro, é denominada ‘Blue Monday’, ou dia mais triste do ano. O seu nome deve-se a Cliff Arnall que para chegar a este dia, desenvolveu um cálculo que tem em conta as condições atmosféricas, o nível de endividamento, o tempo que passou desde o Natal, o tempo que passou desde que começaram a falhar as resoluções de ano novo, os níveis baixos de motivação e a necessidade de tomar decisões.
Por isso este artigo pretende motivar pequenas decisões, que irão provocar grandes resultados e atingir as metas a que se propôs, transformando qualquer dia da semana num ‘Happy Day’:

1. Lidar melhor com o Stress

O stress vem de dentro. É o que nos diz o especialista na matéria, Dr Daniel Friedman. É a perceção de um evento que inicia a reação ao stress de ‘luta ou fuga’. Não o evento em si. Devemos, pois, tentar adaptar a nossa resposta, já que as pessoas sujeitas durante demasiado tempo ao stress, têm maior probabilidade de apresentar problemas cardíacos e psicológicos. Por isso, é tão importante saber dosear o ritmo, o tempo de trabalho e o de repouso. A meditação, a acupuntura e a massagem ajudam a atenuar o stress e, por conseguinte, a reduzir a pressão arterial, a normalizar os batimentos cardíacos, a digerir melhor os alimentos, a dormir melhor, entre outros.
O self-care é essencial para o ajudar a relaxar e a sentir-se revigorado, em ótimas condições para enfrentar os muitos desafios do dia-a-dia. Veja também em: stress Less

2. Comer Menos e Mais Saudável

Os portugueses estão a comer o dobro do recomendado e de forma mais desequilibrada.’ Este alerta emitido pela Ordem dos Nutricionistas e difundido por diversos meios de comunicação no final de 2021 é muito preocupante, já que a alimentação é um pilar essencial na Saúde do nosso organismo. Como podemos inverter esta tendência? Para além de reduzir a quantidade, devemos evitar alimentos ricos em gordura, sal e açúcar, assim como os demasiado processados. Ingerir diariamente 5 porções de frutas e hortícolas e não esquecer que a água é parte integrante de quase todas as funções do corpo, pelo que é fundamental beber pelo menos 1,5 L de água por dia.

3. Deixar de Fumar

Uma grande percentagem de doentes, constata que a origem ou o agravamento da sua doença foi provocada pelo abuso de cigarros, bebidas alcoólicas ou drogas. Só o fumo do tabaco, é, sem dúvida, um grande cúmplice dos nossos dois principais assassinos: as doenças cardíacas e o cancro.
Por todos os seus malefícios, não admira que 70% dos fumadores queiram deixar de o ser, sendo o DEIXAR DE FUMAR, uma das grandes resoluções de Ano Novo. Motivos não faltam: diminuir os riscos para a saúde; aumentar o paladar, o olfato e o bem-estar; facilitar a respiração e a atividade física; ter mais tempo e dinheiro disponível; ser um bom exemplo, sobretudo para os filhos; preservar o ambiente, etc, etc, etc.
De acordo com as estatísticas, se recorrer a ajuda especializada, as hipóteses de atingir este importantíssimo objetivo, aumentam drasticamente. Veja também em: Deixar de Fumar com a Medicina Chinesa

4. Fazer Mais Exercício

O exercício é essencial para a nossa saúde física e mental, indissociáveis, à luz da Medicina Tradicional Chinesa.
As últimas recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) estipulam para os adultos, pelo menos 150 a 300 minutos de atividade física de intensidade moderada; ou 75 a 150 minutos de atividade física de intensidade vigorosa, ao longo da semana. Seja qual for a atividade, o corpo e a mente vão agradecer muito, e retribuir com um coração e um sistema vascular mais fortes; libertando endorfinas, também conhecidas como as ‘hormonas da felicidade’; eliminando toxinas; uma pele mais bonita e firme; um corpo tonificado; articulações robustas; diminuindo o stress e aumentando a energia e confiança, entre outros.
Na hora de decidir deixamos-lhe a lista dos 5 exercícios físicos que trazem mais benefícios à saúde a curto e longo prazo, de acordo com uma professora de Medicina da Universidade de Harvard:
1. Tai Chi Chuan (que integra o sistema holístico da Medicina Tradicional Chinesa)
2. Caminhar
3. Exercícios de Kegel
4. Nadar
5. Musculação
Mexa-se pela sua Saúde!

5. Atingir/manter um peso saudável

Um peso saudável, muito mais do que uma questão estética, é uma questão de Saúde! De entre as várias métricas para avaliar o peso, o IMC (índice de massa corporal), apesar de não ser perfeito, é uma das mais usadas e práticas. Na realidade, o IMC é a relação entre peso e altura e o seu cálculo é feito através da fórmula IMC = peso/(altura x altura). Calculado o IMC há que enquadrá-lo na seguinte tabela:

· < 18,5: abaixo do peso · 18,5 e 24,99: peso normal · 25 e 29,99: acima do peso · 30 e 34,99: obesidade I · 35 e 39,99: obesidade II (severa) · > 40: obesidade III (mórbida)

Como está o seu? Em Portugal, quase metade da população está acima do peso e perto de um milhão de adultos sofre de obesidade. Considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) uma epidemia, a obesidade afeta a longevidade e a qualidade de vida.
Veja também em :   Perder Peso – Já deu o primeiro passo ?

Este ano quais são os seus objetivos? E o que vai fazer diferente?

«INSANIDADE É FAZER SEMPRE A MESMA COISA E ESPERAR RESULTADOS DIFERENTES» ALBERT EINSTEIN

1. Deixe a natureza entrar

Abra as janelas, todos os dias, e deixe o sol e o ar entrarem! A luz solar e a circulação do ar, são extremamente importantes para a saúde. Conviva mais com a natureza, convide-a a entrar na sua casa e visite-a mais vezes, para se exercitar, caminhar ou simplesmente, observar.Muitos estudos já comprovaram que pessoas que vivem a natureza de perto podem ser mais felizes e ter vidas mais longas. Mas um estudo da University of British Columbia, concluiu que reservar apenas algum tempo a observar a natureza, pode ter um efeito positivo no seu humor e bem-estar.) 

2. Alimentação e Hidratação

Pratique uma alimentação saudável e beba bastante água para manter o corpo hidratado. De acordo com a Medicina Chinesa, a energia defensiva do corpo depende diretamente da ‘força’ do pulmão e do colon, pois é através dos sistemas respiratório e digestivo que o inimigo externo, geralmente, invade.Quando o pulmão está saudável, a imunidade é forte, a recuperação da doença é rápida e a pele também está saudável. Quando o pulmão não está saudável, podemos sentir tristeza, emoção associada a este órgão.
Para fortalecer o pulmão, através da alimentação, este sistema de saúde milenar recomenda a ingestão de raiz de ginseng, astrágalo, cogumelos cordyceps, rabanetes fermentados, couve-flor, agrião, acelga, nabos, amêndoas, maçãs, peras, arroz, aveia, cebola, alho e pimenta branca.

3. Kombucha

A Kombucha ou ‘elixir da vida longa’, como é designada em alguns documentos antigos, é um poderoso probiótico natural. Tudo indica que esta bebida milenar, teve a sua origem na China. Levemente ácida, frisante e saborosa, ainda proporciona inúmeros benefícios para a nossa saúde.
Por ser fermentada a partir de chás (preto, verde ou mate), a Kombucha é rica em compostos bioativos, como antioxidantes e anti-inflamatórios, além de vitaminas e minerais. Esta bebida, associada a uma alimentação saudável regulariza o trânsito intestinal e reequilibra a microbiota, reforçando assim o sistema imunitário.
Um estudo recente produzido por médicos e cientistas chineses mostrou que pacientes que testaram positivo para o Covid-19 estavam com a sua microbiota intestinal desequilibrada, com redução das bactérias consideradas benéficas.
Entretanto, o especialista em genética e biologia molecular, Luís Felipe Valter de Oliveira, também refere que, embora não haja nenhuma maneira do microbioma intestinal exercer proteção direta contra o vírus, existem evidências científicas que mostram uma relação próxima entre a microbiota e o sistema imunológico, pelo que alerta para a importância de considerar a microbiota intestinal no combate ao coronavírus, já que quando esta está saudável e equilibrada, o sistema imunológico protege-nos melhor de organismos capazes de provocar doenças. Evidência que vai totalmente ao encontro da teoria da medicina chinesa.

4. Stress

Vários estudos têm demonstrado que o stress e a ansiedade enfraquecem o sistema imunitário e que as emoções têm um impacto direto na nossa imunidade.Quando estamos equilibrados, o nosso organismo funciona bem. Porém quando sujeitos a fatores ‘stressantes’, o nosso organismo liberta adrenalina e cortisol. O cortisol para além de estimular o apetite, influência também a quantidade de gordura visceral que o nosso corpo acumula. E se o corpo estiver constantemente a produzir cortisol (stress crónico), o sistema imunitário vai ser prejudicado.
Não deixe que o stress abale a sua Saúde [Stress Less].

5. Acupuntura

A acupuntura faz parte da Medicina Chinesa cuja essência assenta na abordagem holística do individuo e na prevenção.
A causa da doença, segundo esta sabedoria milenar, resulta de um desequilíbrio de energia, que pode ter origem externa – causado pelo meio ambiente, ou origem interna – causada pelas emoções retidas.
Assim, a Medicina Chinesa olha o ser humano como um todo na dimensão bio-psico-fisiológica, ou seja, o individuo não é somente entendido como um conjunto de órgãos, doenças e sintomas, mas antes pelo contrário, como um todo, um ser que necessita de equilíbrar corpo-mente, para manter ou recuperar a saúde e a integridade.
O efeito da acupuntura e moxabustão (aquecimento da pele sobre o ponto de acupuntura) tem como característica manter a função imunológica em estado ótimo, restaurando a homeostase do organismo, diminuindo hiperfunções e aumentando hipofunções.

Muitas vezes o alimento é uma compensação emocional, para contrabalançar o stress, a ansiedade, o excesso de trabalho, as noites mal dormidas e outras situações que provocam uma carência de prazer e de lazer. Quando a fome é mais emocional do que fisiológica, torna-se difícil parar de comer. Conscientes dessa dificuldade, reunimos para si um conjunto de estratégias que podem ajudar:

1. Entenda a razão

Perceba o que está a sentir para poder controlar. A meditação, por proporcionar, entre muitos outros benefícios, maior clareza e tranquilidade, pode ser uma ajuda tanto na tomada de consciência do que está a sentir e das suas causas, como na eliminação das mesmas. Dicas para aprender a Meditar (clicar aqui

2. Coma devagar e várias vezes ao dia

Coma regularmente e mastigue bem. Quando segue uma rotina alimentar, os níveis de açúcar e da grelina (a hormona da fome) estabilizam, evitando episódios de compulsão alimentar.

3. Coma alimentos ricos em fibras e proteínas. Evite alimentos industrializados

Coma frutas, legumes, leguminosas, proteínas e gorduras boas, para se sentir saciado durante mais tempo. Os alimentos industrializados são pobres em fibras pelo que não o deixarão saciado. Para além de terem muito mais calorias e poucos nutrientes, estes alimentos híper palatáveis (recheados açúcar, sal e/ou gorduras), são viciantes. Tal como uma droga, libertam químicos no nosso cérebro que causam uma sensação de prazer e satisfação e consequentemente o seu consumo compulsivo.

4. Planeie as refeições

Planeie as refeições antecipadamente, para adquirir os ingredientes saudáveis de que necessita para preparar refeições saciantes e nutritivas, respeitando as porções recomendadas. Estudos revelam que o planeamento das refeições está associado à melhoria na qualidade e variedade da dieta, ajudando-o a controlar a compulsão alimentar. A manutenção de um diário alimentar também tem resultados muito positivos. Roda dos Alimentos (clicar aqui).

5. Beba bastante água

Essencial para a sua saúde, vai também ajudar a controlar a fome e o desejo de comer.

6. Pratique exercício físico regularmente

Por proporcionar uma sensação de prazer e bem-estar o exercício físico é fundamental.

7. Durma Bem

Dormir pouco ou mal está associado ao aumento de peso e à compulsão alimentar. A privação do sono não afeta apenas os níveis de fome e do apetite, mas também causa resistência à insulina.

8. Reduza o stress

O stress é quase inseparável do nosso estilo de vida atual. Este é um facto que dificilmente conseguiremos alterar, contudo, podemos (e devemos) alterar a forma como este nos afeta e como lhe reagimos. A meditação, a prática de exercício físico e a acupuntura são algumas das atividades que podem ajudar neste objetivo.

9. Sessões acupuntura

A acupuntura olha o ser humano como um todo e promove o equilíbrio corpo-mente para a manutenção da saúde e do bem-estar. Quando este equilíbrio é afetado, procura atuar na causa do problema, estimulando a capacidade natural do organismo se reequilibrar. Esta terapia também se tem revelado muito eficaz na redução do apetite, do stress e da ansiedade.

antioxidante

Que a ingestão de alimentos antioxidantes melhora muito a saúde, não é segredo para ninguém.

De facto, os antioxidantes presentes nos alimentos podem ajudar a prevenir o cancro, a reverter ou retardar o envelhecimento,  a melhorar o sistema imunológico, a aumentar a sua energia, reduzir os níveis de stress, e contribuem ainda para a saúde do coração e de outros órgãos.

Daí que, por tudo o que sabemos sobre os antioxidantes e as suas propriedades, seja estranho que não se consumam mais frutas e vegetais, as suas principais fontes. No mínimo, deveríamos ingerir, diariamente, 5 porções de frutas e legumes.

Como pode introduzir mais antioxidantes na sua dieta?

  1. Pequeno-almoço

Ao pequeno-almoço, em vez de pegar numa torrada e, apressadamente, sair, prepare um sumo com alguns morangos e um iogurte no liquidificador. Beba o sumo, tranquilamente, e então saia de casa já com parte da dose diária recomendada. Em alternativa, também pode adicionar algumas frutas nos seus cereais integrais preferidos.

Caso não consiga tomar o pequeno almoço em casa e opte por o fazer fora, peça uma taça de fruta e um iogurte e o objetivo também fica cumprido.

  1. Snacks

Esta é uma maneira fácil de obter mais antioxidantes na sua dieta! Que tal um punhado de passas para um lanche ou algumas uvas vermelhas frescas? Ou mergulhar alguns morangos no iogurte. Precisa de mastigar? Que tal uns palitos de cenouras com húmus? Considere também um punhado de nozes como um bom boost antioxidante.

  1. Refeições principais (almoço e jantar)

Pode parecer banal, mas adicionar uma salada a cada refeição principal acrescenta muito à sua saúde e bem-estar. E não precisa ser monotona: pode adicionar algumas fatias de pimento vermelho à salada verde, alguns tomates à salada grega ou cranberries aos verdes do campo. Também pode preparar uma salada de bróculos para o almoço ou uma salada de arroz com uma variedade de legumes frescos, como vagens, tomates, pimentões e cebolas vermelhas.

  1. Sobremesa

Bagas, com ou sem tópico chocolate, são uma ótima maneira de terminar o seu dia com uma alimentação saudável e rica em antioxidantes. 

  1. Bebidas

Substitua os refrigerantes por chá ou café, ambos com compostos antioxidantes. Ao jantar, tome um copo de vinho ou, para mudar mesmo de ritmo, beba um copo de chá chai.

  1. Pense fora da caixa

Sabemos que os antioxidantes podem ser obtidos a partir de frutas, saladas e similares, mas pesquisas recentes dizem que também poderemos encontrar poderosos antioxidantes numa variedade de alimentos inesperados, como batatas russet, alcachofras e feijões vermelhos. Os grãos, de acordo com os especialistas, podem ter ainda mais poder antioxidante que os mirtilos. Então, para obter ainda mais antioxidantes, não se esqueça de adicionar à sua salada de arroz cheia de legumes, um pouco de feijão 😉

  1. Não cozinhe demasiado os legumes

Para que a sua família retire maior benefício dos antioxidantes, não cozinhe demasiado os legumes. Se o fizer, as propriedades especiais dos antioxidantes acabarão por se perder. Cozinhe os legumes no vapor (não os ferva) e retire-os enquanto mantêm a sua cor brilhante e estão crocantes.

  1. Plantar um jardim

Pesquisas indicam que as pessoas que plantam e colhem legumes dos seus próprios quintais, comem mais legumes e frutas do que as pessoas que compram estes alimentos. Então, se puder, plante um jardim, observe-o crescer e coma os frutos (literalmente) de seu trabalho. Se não puder ser, plante umas plantas aromáticas em vaso, o que também será gratificante.

  1. Continue a sua dieta saudável durante férias

Nas férias, só não tire férias de uma alimentação saudável! Pense neste período como uma excelente oportunidade para introduzir novos alimentos e hábitos saudáveis. Encomende um prato interessante de legumes num restaurante e tente perceber como o CHEF o preparou. É um otimo exercício para os seus sentidos e imaginação – relaxe e divirta-se!

  1. Aprenda a cozinhar

Procure não encomendar ou comer sempre fora. Se possível, faça você mesmo. Cozinhar envolve preparação (escolha da ementa, dos alimentos) e a própria confeção. Só desta forma consegue garantir a ingestão de alimentos mais saudáveis e antioxidantes.

Sabia que a Medicina Chinesa relaciona os alimentos e suas características com os seus efeitos sobre o sistema energético humano, permitindo assim a sua utilização na manipulação das condições do organismo em busca do equilíbrio.  Saber mais 

Peso

Uma dieta cuidada é fundamental para ficar em forma e não necessita de “gastar” muito tempo a programar uma dieta com os alimentos certos e quantidades.

Uma das melhores alterações que pode fazer, é mudar para uma  dieta orgânica. É bom aumentar ingestão de fibra, que limpará o seu cólon e facilitará a perda de peso. Isso significa que, em vez de comer alimentos refinados ou processados, deve comer alimentos integrais: como arroz integral e pão integral – têm mais fibras e menos gorduras saturadas e colesterol.

Deve aumentar também o consumo de proteínas, minerais e vitaminas. Para tal, necessita de comer mais frutas e legumes e substituir  a carne vermelha por peixe e frango. As carnes brancas têm menos calorias e gordura e ainda fornecem mais proteína.

Outra alteração importante é  eliminar completamente a junk food. E isso inclui doces, fritos, bolos, refrigerantes… Pode substitui-los por lanches de frutas e vegetais. Em vez de refrigerantes, beba água ou sumos naturais sem açúcar e modere a ingestão de álcool.

Estas pequenas mudanças, vão ter uma grande impacto na sua forma física, no seu peso e na sua saúde. Sentir-se-a uma pessoa nova, com mais saúde e energia. No início, poderá estranhar um pouco o aumento de ingestão de fibra e substituição de alguns alimentos, mas isso logo passará e seu corpo funcionará melhor e com mais eficiência.

Lembre-se: manter a forma não depende apenas do exercício físico. A dieta desempenha um papel fundamental na perda de peso e na melhoria da sua saúde.

Cuide da sua saúde, mantenha-se em forma, invista em si, adotando bons hábitos para preservar a sua saúde e longevidade.

A CIÊNCIA DO APETITE, leia o artigo “Menos Peso, Mais saúde”.

saudável

Em poucas palavras, uma dieta saudável envolve:

(1) Mais comida caseira. Evite comer fora.

(2) Mais frutas frescas como snacks.

(3) Mais legumes frescos nas refeições e snacks.

(4) Mais leguminosas como acompanhamento e na Sopa.

(5) Mais Pão denso e escuro, menos pão branco e refinado.

(6) Mais peixe, frango / peru sem pele, menos carne vermelha.

(7) Porções maiores de legumes e menores de carne vermelha.

(8) Ingerir lacticínios com pouca gordura e moderadamente.

(9) Refeições com menos gordura, na forma de manteiga, maionese e outros molhos … Esta é uma enorme fonte de calorias.

(10) Comer snacks saudáveis para manter a fome afastada.

Se comer, regularmente, de forma nutritiva e saudável , não sentirá fome nem desejo por junk food. É que, no que diz respeito ao controlo de peso, a FOME  continua  a ser o MAIOR INIMIGO. (sabia que a acupuntura ajuda da controlar a fome?)

Temos mais recomendações saudáveis para si! Veja o artigo “Saber comer com saúde(clique Aqui)

Hoje, dia 14 de Novembro, marca-se o Dia Mundial da Diabetes.

As estatísticas da doença são assustadoras. Atualmente, a Diabetes é a mais comum das doenças não transmissíveis, e os números continuam a subir. Atinge cerca de 415 milhões de pessoas em todo o mundo, e estima-se que nos próximos 20 anos esse número suba para 642 milhões. Segundo os dados do Observatório Nacional da Diabetes, em Portugal, a percentagem encontra-se a 13.3% de diabéticos, com idades compreendidas entre 20 e 79 anos. Existem pelo menos um milhão de diabéticos diagnosticados, mais de 500 mil pessoas que têm diabetes e não sabem, e mais de 2 milhões de portugueses estão na situação de pré-diabetes, 70% dos quais irão eventualmente desenvolver a doença. E estamos a falar apenas de Portugal…

A Diabetes é mais recorrente ser diagnosticada em análises ou consultas de rotina. Quando nem se está à procura da doença, os pacientes são surpreendidos com a noticia.

Mas percebe mesmo o que é a Diabetes?

Bem, trata-se de uma doença crónica ligada ao seu metabolismo, e caracteriza-se pelo aumento dos níveis de açúcar no sangue (glicémia), que por sua vez provoca outras alterações ao nível metabólico. Não nos podemos esquecer que o açúcar é necessário para as nossas células, e para que este seja transportado, o nosso pâncreas produz insulina, a hormona responsável por transportar a glicose da corrente sanguínea para as células, que por sua vez se transforma em energia. A Diabetes provoca a deficiência deste processo.

Existem diversos Tipos de Diabetes, como já deve ter ouvido falar. Em crianças e adolescentes é mais comum a Diabetes Tipo 1, geralmente é diagnosticada mais cedo e nem sempre está ligada a maus hábitos de vida. Neste Tipo, o pâncreas deixa subitamente de produzir a insulina, o que resulta na súbita e exagerada dos níveis de açúcar no sangue.

No entanto, cada vez é mais comum o aparecimento de Diabetes Tipo 2 em adolescentes obesos. Quando se tem este Tipo de Diabetes, a capacidade do organismo converter açúcar em energia é efetada, uma vez que o corpo não responde à insulina como devia – Resistente à Insulina – ou não produz insulina suficiente (aqui percebemos como o consumo excessivo de açúcar pode levar ao aparecimento da doença). Resultando na subida anormal e progressiva dos níveis de açúcar no sangue.

Qualquer pessoa pode sofrer de Diabetes, mas a principal causa para o desenvolvimento da doença é a exposição a fatores de risco. É uma doença sem cura, e reflita que esta condição é responsável por diversas complicações que diminuem a qualidade de vida, e pode até provocar morte precoce. No entanto, o avanço nos tratamentos e a preocupação em conhecer a doença permite aos diabéticos seguir o seu dia-a-dia de forma “quase” normal. Esse cuidado passa por três pontos essenciais:

Alimentação e Estilo de Vida,

Trata-se de uma prioridade não só do diabético, mas de quem se quer prevenir. Melhorar os seus hábitos alimentares e, se necessário, perder peso, é um dos fatores que mais contribui para a prevenção e tratamento de complicações. Mesmo que faça algum tipo de tratamento ou medicação, nada será eficaz se não melhorar o seu estilo de vida. Aliás, em grande parte dos casos de Diabetes Tipo 2, não é necessária qualquer medicação, uma vez que é possível controlar a glicemia controlando o peso, o que ingere, e através da prática de exercício físico regular. Em alguns casos é que podem ser prescritos antidiabéticos orais ou insulina. Em casos de Diabetes Tipo 1, é necessário tratamento com insulina, através de injeções, mas é tão ou mais importante manter um extremo cuidado com a alimentação e a ingestão de açúcares.

Portanto, quer seja diabético ou não, já pensou em definir um plano de ação para melhorar as suas chances, e assumir hábitos saudáveis?

Vamos por fases…

  1. Defina os seus objetivos, de preferência com o seu médico e, de preferência, realistas.
  2. Se não está habituado a mudanças, ou tem falta de força de vontade, comece com pequenas alterações no seu estilo de vida. Uma porção das refeições diárias mais pequenas, caminhadas de 10 ou 20min, menos sobremesas…
  3. Porque não recompensar-se de vez em quando? Por cada objetivo alcançado, mime-se.
  4. Esteja preparado para lidar com obstáculos…aprenda com eles.
  5. Reconheça os seus erros, e procure as razões dos seus falhanços.
  6. Seja positivo e tenha esperança no futuro. Diabetes não é uma sentença, e evita-la não é impossível.

 

Agora vamos falar de alimentação…

Esta deve ser equilibrada, variada e completa (como em qualquer indivíduo saudável). É importante que inclua na sua refeição hortaliças, frutos, cereais e leguminosas, todos ricos em hidratos de carbono, mas igualmente ricos em fibra alimentar, vitaminas, minerais, antioxidantes e outras substâncias protetoras. Não, não está proibido de comer qualquer coisa com açúcares, mas convém lembrar que estes alimentos, além de contribuírem para uma rápida subida da glicemia, também são bastante calóricos, com défice de fibras e vitaminas. Por isso, não acrescentam qualquer valor nutricional, além de contribuírem para o aumento de peso, e voltamos a relembrar que a obesidade e a diabetes estão fortemente associadas. Qualquer diabético deve ter um plano alimentar individual, planeado consoante a sua condição.

No nosso blog, como descobrir mais em pormenor como as técnicas da Medicina Tradicional Chinesa o podem ajudar a acabar com a “Fome Emocional”, contribuindo para a diminuição da ansiedade e favorecendo o seu equilíbrio energético.

Leia os nossos artigos sobre Qualidade de Vida e Hábitos Saudáveis:

Saiba mais sobre a Diabetes
Como perder peso, de forma saudável
Obesidade: Liberte-se do peso e da ansiedade
Hábitos Saudáveis

Evitar a Diabetes, ou viver com ela, é um processo constante, não pode cair do desleixo após seguir um regime de uns meses. É preciso estar fisicamente e mentalmente preparado. Os tratamentos de Acupuntura podem ajudá-lo na sua jornada, fazendo-o perder peso e cuidando da sua mente e energia vital, num processo acompanhado e especializado, mas a motivação tem de vir de si, nós estamos cá para o receber.

Envelhecimento Saudável

“Nós somos o que fazemos repetidamente.

A excelência, portanto, não é um ato, mas um hábito.”

Aristóteles

Envelhecimento

 

Todos nós queremos viver mais e melhor!

No entanto, estranhamente, nem sempre as nossas ações são concordantes com tão salutar desejo. Certo, é que são as nossas ações, não os nossos desejos, que moldam o nosso corpo, a nossa saúde, o nosso destino… É, então, forçoso, transformar desejos em ações e a única forma de o conseguirmos será, através de uma vontade férrea e de autodisciplina. A autodisciplina é a ponte entre os nossos desejos e as nossas ações, as nossas conquistas! Apesar de toda a turbulência, temos que nos manter fiéis ao caminho que nos conduzirá a uma vida melhor e não trocar o que mais queremos, pelo que queremos (ou é mais fácil) no momento. envelhecimento

De acordo com as estimativas do Instituto Nacional de Estatística, em 2013, Portugal, superou, pela primeira vez, os três mil centenários. São 3.393 as pessoas que residem no nosso país, com mais de 100 anos. De acordo com os dados revelados pela mesma fonte, a esperança média de vida em Portugal, é de 76,91 anos para os homens e de 82,79 anos para as mulheres. Já no Japão, o país com a maior média de expectativa de vida e de acordo com os dados de 2013, as idades elevam-se para 80,21 nos homens e para 86,61 anos nas mulheres.

A possibilidade de vivermos mais tempo é, sem dúvida, uma boa notícia. Mas, mais do que acrescentar anos à vida, importa acrescentar vida aos anos! O principal objetivo é retardar o envelhecimento e prolongar a saúde e o bem-estar, adotando um estilo de vida saudável.

A receita é simples:

Alimentação – Comer menos para viver mais!

Adote uma alimentação completa, equilibrada e variada. Reduza as doses de cada refeição e coma várias vezes ao longo do dia, para não sentir fome. Coma mais fruta e vegetais (pelo menos cinco porções todos os dias) e menos carne vermelha. Substitua os “vilões” – alimentos industrializados, ricos em gorduras saturadas, sódio e açúcares, pelos “heróis” da longevidade – oleaginosas, tais como nozes, castanhas, avelãs e amêndoas (todos os dias), peixe rico em ómega 3 (no mínimo duas vezes por semana), chocolate preto (mínimo 60% cacau) e beba muita água (1,5 a 2l diários).

Exercício físico – Mexa-se pela sua saúde!

O exercício é tão importante que, de acordo com uma pesquisa divulgada pela faculdade americana de medicina desportiva e pelo conselho internacional de ciência e educação física, a geração que atualmente tem 10 anos, deverá ser a primeira a ter uma expectativa de vida inferior à dos pais, devido à redução da atividade física.

Os benefícios do exercício físico são inúmeros e para os colher, andar é suficiente! Também o cérebro sai favorecido, tal como demonstra um estudo norte-americano, recentemente publicado na revista Neuroscience, uma vez que, durante o exercício, o organismo produz uma substância que estimula o nascimento de novos neurónios, melhorando assim as atividades cognitivas, em especial a memória. Se praticado ao ar livre, ainda que apenas durante 10 minutos, o exercício físico, melhora significativamente a saúde mental, trazendo benefícios para o humor e para a autoestima, de acordo com a Universidade de Essex, no Reino Unido.

Durma bem – Deitar cedo e cedo erguer… conhece o ditado?

Um sono reparador, mais do que importante, é essencial! Uma pesquisa da Associated Professional Sleep Societies afirma que quem sofre de insónias corre o triplo de risco de morte. A duração do sono varia de pessoa para pessoa, no entanto, os pesquisadores normalmente apontam para um mínimo de sete horas e meia por dia.

Sorria para a vida

Objetivos bem definidos e presentes dão cor e sentido à vida. São autênticos faróis que nos permitem, com maior facilidade, superar os desafios que se interpõem no nosso caminho. Aprenda todos os dias. Seja uma excelente companhia tanto para si como para os outros. Rodeie-se de bons amigos para celebrar a vida ou para apoiar, sempre que necessário. Seja otimista. Ria muito (de si também…). Evite situações de stress. Relativamente às que não conseguir evitar, lembre-se que pode sempre decidir se, vai ou não, deixar que a afetem. Medite. Não fume e modere a ingestão de álcool.

Medicina preventiva e anti-aging

Como referiu o prémio Nobel da medicina de 1980 “…durante séculos a medicina tentou curar. Hoje em dia, o derradeiro objetivo é prevenir…”. Para a Medicina Tradicional Chinesa a prevenção da doença é primordial e contribui, certamente, tal como a alimentação, para o segredo da longevidade oriental. Esta arte milenar, encara o universo como um todo, composto por partes interligadas e interrelacionadas, em constante movimento e mutação. Nesta visão holística, o individuo é também compreendido e tratado como um todo. Ligado à natureza, reflete em si os seus ciclos e processos. Os problemas de saúde surgem sempre que as energias Yin e Yang estão em desequilíbrio. Sendo a auto preservação do organismo essencial para retardar o envelhecimento, a Medicina Tradicional Chinesa, através de diversas terapêuticas, como a acupuntura, previne e trata doenças, alivia a dor, ajuda a relaxar e a manter corpo, mente e emoções equilibrados.

Como tal, todos estes fatores combinados poderão contribuir para que viva mais e melhor, se, claro está, passar à ação! Não espere pelo momento ideal, nem por um valente susto para seguir a receita, ou seja, para mudar o seu estilo de vida!

“Que o seu alimento seja o seu medicamento, e que

seu medicamento seja o seu alimento.”

Hipócrates

A 16 de outubro celebra-se, anualmente, o Dia Mundial da Alimentação.

A Medicina Tradicional Chinesa (Medicina Chinesa) entende o indivíduo como um todo e a saúde como um dinâmico e ténue equilíbrio entre os aspetos físicos, mentais, emocionais e espirituais da sua vida, bem como do seu relacionamento com o meio em que vive. Através de diferentes terapêuticas, das quais faz parte a dietética, regulariza o fluxo energético, equilibra mente e corpo, permitindo ao organismo a auto preservação, essencial para retardar o envelhecimento, prevenir e tratar doenças. Efetivamente, os alimentos constituem um dos fatores mais importantes na prevenção de doenças e na manutenção do equilíbrio.

A Medicina Chinesa relaciona os alimentos e suas características com os seus efeitos sobre o sistema energético humano, permitindo assim a sua utilização na manipulação das condições do organismo em busca do equilíbrio.

Segundo esta filosofia, a energia tem duas qualidades: Yin e Yang. Acredita-se que os alimentos yin são mais nutritivos e calmantes, e os yang mais estimulantes.

Os alimentos, obedecem, igualmente, à Lei dos Cinco Movimentos, que relaciona diversas características com os elementos MADEIRA, FOGO, TERRA, METAL e ÁGUA, conforme podemos verificar no quadro 1.

A partir de agora preste muita atenção às suas emoções e tenha-as sob controlo com a alimentação!

 

Recomendações Básicas da Diatética Chinesa para uma Alimentação Saudável e Holística:

 

 

Quando estamos irritados, temos facilidade em engolir os alimentos, mas dificuldade em digeri-los. Quando estamos tristes, temos dificuldade em engolir e em digerir os alimentos. Assim, quando experienciamos emoções fortes, é aconselhável que adiemos o momento da refeição, até que estas desapareçam.

 

 

CRIE NOVOS HÁBITOS PARA UMA VIDA MAIS FELIZ

O novo ano chegou e, com ele, a vontade renovada de fazer mudanças para uma melhor qualidade de vida. Entre essas mudanças está a Saúde. Seja pelo início ou aumenta da prática de exercício físico, optar por uma alimentação mais saudável, deixar de fumar, reservar mais tempo para fazer o que gosta, entre outras resoluções que se fazem no início de ano.Crie novos Hábitos

Para que as mudanças sejam efetivas é preciso parar, respirar e dar um passo de cada vez. A mudança torna-se um hábito até que, com o passar do tempo, se torna algo intrínseco.

O Equilíbrio da Vida

Na Antiga China Imperial, um dos textos mais antigos de medicina, o Tratado Interno, revela o que devemos fazer para termos para uma vida longa e saudável. De acordo com os sábios da altura, o segredo para uma vida plena, cheia de vitalidade e saudável está em viver sem excessos, em harmonia com a Natureza e respeito pelo seu ritmo, comer e beber com moderação, trabalhar e descansar regularmente. Além disso, deve evitar-se influências negativas e “as pessoas devem conservar-se tranquilas no coração e livrar-se de toda a forma de ganância”.

Segundo a filosofia Taoísta, a que rege a Medicina Tradicional Chinesa (MTC) há milhares de anos, o Homem é parte integrante da Natureza e o seu equilíbrio depende desta. A dialética do yin e yang é um exemplo, a qual se manifesta nos cinco elementos naturais – madeira, fogo, terra, mental e água. A complementaridade da dualidade dos opostos e a sua manifestação nos vários elementos são intrínsecas ao Homem e, consequentemente, cruciais ao seu equilíbrio. O défice de saúde que assistimos nos nossos dias deve-se, pois, à forma como vivemos, dissociada da Natureza nas suas diversas formas.

Sinais quando a mudança é necessária

O seu corpo transmite-lhe sinais sempre que algum tipo de mudança é necessário. Sinais que são transmitidos sob a forma de sintomas, tais como dores ou infeções. Por isso, ouvir o que o corpo tem a dizer é importante para identificar a causa do desequilíbrio que leva à manifestação desses sintomas. Saber escutá-lo é, portanto, essencial.

A visão holística do individuo – composto pelo corpo e mente – permite tratar a causa que levam à origem do sintoma e, consequentemente, da respetiva doença. A medicina chinesa regulariza o fluxo energético, equilibra a mente e o corpo e estimula o organismo a autorregular de forma a retardar o envelhecimento e prevenir e tratar doenças.

Para tal são usadas diversas terapias: acupuntura, fitoterapia, moxabustão, ventosaterapia, auriculoterapia, dietoterapia, massagem Tui-Na e, por último, exercícios físicos, tais como o tai chi chuan e chi kung, e meditação.

De entre todos os métodos terapêuticos na medicina chinesa, a acupunctura é a que possui maior reconhecimento no Ocidente. A sua eficácia no tratamento de múltiplas doenças é reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A UNESCO, a agência das Nações Unidas para o Património, reconhece-a, ainda, como Património Cultural Imaterial, à semelhança do Fado e do Cante Alentejano.

A mudança começa aqui e agora

Aprenda a escutar o seu corpo. Ele dá-lhe indicações sobre o que deve ou não fazer e o que deve ou não comer. Comece por abandonar os hábitos que o/a prejudica e, de seguida, adicione hábitos que o/a ajuda a tornar uma pessoa mais saudável nas suas dimensões física e psicológica.

Junte-se a um grupo de amigos para que, juntos, sirva de trampolim motivacional. Saia de casa, usufrua do sol e das paisagens que temos o privilégio de ter no nosso país.

Desfrute dos produtos frescos que o mar e a terra nos oferecem para partir à descoberta de pratos frescos, saudáveis, fáceis de cozinhar e extremamente deliciosos. Tire um curso de cozinha saudável. De certeza que vai surpreender-se com a descoberta de novos produtos, sabores e saberes.

Aproveite e conheça novas pessoas. Oiça as suas estórias. Ria.

No fundo, viva mais!

 

SEGUNDA A SEXTA 9.00 - 19.00