fbpx

Coração
Coração De acordo com o estudo “e COR – Prevalência de Fatores de Risco Cardiovasculares na População Portuguesa”, divulgado pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), 68% da população portuguesa apresenta dois ou mais fatores de risco para doenças cardiovasculares e 22% quatro ou mais, sendo os fatores de risco mais relevantes a diabetes, colesterol elevado, hipertensão arterial, pré-obesidade/obesidade e tabagismo. Saiba mais! Coração

Ao longo de todos estes meses, o medo da Covid-19 afastou muitas pessoas da consultas, exames e análises. A redução significativa das idas às urgências hospitalares, provocada pelo receio de contágio, também provocou o adiamento do tratamento de muitas patologias cardiovasculares. É importante que não deixe de vigiar a sua saúde, pois a intervenção precoce e atempada pode ser decisiva no sucesso dos tratamentos.

7 Maneiras Fáceis de Cuidar do Seu Coração

Se adotar um estilo de vida equilibrado, a todos os níveis, o seu coração será saudável o que se refletirá na sensação de tranquilidade, nos pensamentos positivos e num sono reparador. Para atingir esse equilíbrio e beneficiar de um “maestro da orquestra”, enérgico e ritmado, partilhamos consigo alguns bons hábitos: 

A Medicina Tradicional Chinesa também cuida do seu Coração

Que é um órgão essencial à vida e responsável por bombear o sangue pelo corpo, todos sabemos, no entanto, para a Medicina Tradicional Chinesa a sua importância é ainda maior, sendo considerado o “maestro” do organismo. O coração, órgão associado à alegria e ao fogo, na medicina chinesa, além de impulsionador do sangue, é o coordenador de todo o sistema, relacionando-se fortemente com o funcionamento da mente. Tanto é que, em chinês, a palavra Xin significa, em simultâneo, coração e mente.

Deste modo, sendo o coração a residência da mente, a presença de um desequilíbrio cardíaco, não irá apenas comprometer a função mecânica.Na realidade, seguindo o mesmo raciocínio, os sintomas de desequilíbrio irão para além das clássicas palpitações, falta de ar ou fadiga.

Nesta visão holística, também os pensamentos negativos, a depressão, a memória fraca e a agitação são sintomas que devem ser tidos em conta na avaliação de um possível desequilíbrio do coração.

Como a Medicina Tradicional Chinesa cuida da saúde do seu Coração?

Atuando, por um lado, na prevenção, e por outro, nos fatores responsáveis pela doença ou desequilíbrio, a Medicina Chinesa pode aumentar, não só a esperança de vida como a qualidade da mesma. A acupuntura, em particular, poderá ser uma das técnicas milenares eleita para ajudar no equilíbrio cardíaco, uma vez que aumenta a qualidade dos vasos sanguíneos, melhora a fluidez do sangue, reduz a dor e a sensação de mal-estar.

No que diz respeito aos fatores que podem pôr em risco o coração, a Medicina Tradicional Chinesa ajuda ainda a reduzir os níveis de stress, a diminuir o colesterol, a regular os níveis de tensão arterial, bem como no processo de deixar de fumar.

O coração abriga a mente, a consciência e o espírito. Tratar do coração é muito mais do que regular a circulação sanguínea e equilibrar a tensão arterial. É também cuidar dos sentimentos, da ansiedade, da depressão, da perda de memória, das insónias e de tantas outras alterações emocionais. 

Como em todas as outras áreas, no corpo humano cada peça tem a sua importância e o equilíbrio de cada uma delas é importante para que o conjunto esteja em pleno funcionamento e harmonia.

No mês do Coração, cuide do seu! 

coração

“Todos os dias cuida dos cabelos, por que não do coração?”

Provérbio Chinês

 

 

Em Portugal, as doenças cardiovasculares continuam a ser a principal causa de morte, sendo que, em 80% dos casos, esta poderia ser prevenida. Segundo a Sociedade Portuguesa de Cardiologia, mais de metade da população entre os 18 e os 79 anos apresenta, no mínimo, dois fatores de risco para a saúde do coração, entre eles, o excesso de peso e o tabagismo.

Maio é o mês do coração e é sobre ele que falamos neste artigo.

Que é um órgão essencial à vida e responsável por bombear o sangue pelo corpo são factos já conhecidos de todos, no entanto a Medicina Tradicional Chinesa dá a este órgão uma importância ainda maior, fazendo dele o “maestro” do organismo.

Nesta visão holística, o papel dos órgãos, vai muito para além da sua função convencional, e está diretamente associado ao correto funcionamento do restante organismo bem como à vertente emocional.

O coração, órgão associado à alegria e ao fogo, é, além de impulsionador do sangue, o coordenador de todo o sistema, relacionando-se fortemente com o funcionamento da mente. Tanto é que, em chinês, a palavra Xin, significa, em simultâneo, coração e mente. Deste modo, sendo o coração considerado a residência da mente, não ficará comprometida apenas a função mecânica aquando de um desequilíbrio a nível cardíaco. Seguindo a mesma lógica, também os sintomas de desequilíbrio não estarão somente nas clássicas palpitações, falta de ar ou fadiga. Numa visão holística, também os pensamentos pessimistas, depressão, fraca memória e maior agitação serão alguns dos sintomas a considerar num possível desequilíbrio do coração.

Se levar um estilo de vida equilibrado, a todos os níveis, e por isso o seu coração estiver saudável, sentirá tranquilidade, terá pensamentos mais positivos e o seu sono será mais reparador. Para atingir esse equilíbrio e beneficiar de um saudável “maestro da orquestra”, partilhamos consigo alguns hábitos que muito o ajudarão, caso os incorpore na sua vida:

 

Além destas práticas, existem alguns alimentos que são benéficos para a saúde do seu coração. Batata-doce, espinafres, alimentos integrais, romã, lentilhas e feijão são apenas algumas dessas opções.

A Medicina Tradicional Chinesa é também uma forte aliada saúde do seu coração – aposta na prevenção e na recuperação, tanto diretamente, a nível cardíaco, como indiretamente, atuando nos fatores de risco, podendo aumentar, não só a esperança de vida, como também a qualidade da mesma. A acupuntura, especialmente, poderá ser uma das técnicas milenares chinesas a ajudar no equilíbrio cardíaco, porque, entre outros aumenta a qualidade dos vasos sanguíneos na sua globalidade, melhora a fluidez do sangue, assim como reduz a dor e a sensação de mal-estar geral. No que diz respeito aos fatores que podem pôr em risco o coração, a Medicina Tradicional Chinesa ajuda a reduzir os níveis de stress, a diminuir o colesterol e ainda a regular os níveis de tensão arterial.

Sendo que o coração abriga a mente, a consciência e o espírito, tratar do coração, como vimos, não significa apenas regular a circulação sanguínea e equilibrar a tensão arterial. Com estas técnicas cuida-se também da vertente, não tão palpável, como sentimentos, insónias, ansiedade, depressão, perda de memória e tantas outras alterações emocionais.

Como em todas as outras áreas, no corpo humano cada peça tem a sua importância e o equilíbrio de cada uma delas é importante para que o conjunto esteja em pleno funcionamento e harmonia.

 

No mês do coração, cuide do seu!

 

 

VERÃO: A ESTAÇÃO DO CORAÇÃO

 

Estamos em pleno verão. A Energia Yang está no seu expoente máximo. A Natureza atinge o seu auge. As Pessoas estão mais soltas, alegres e os seus sentimentos irradiam calor.

Na Medicina Tradicional Chinesa (MTC), o verão está relacionado com o elemento Fogo, com a emoção Alegria, com o órgão Coração e a víscera Intestino Delgado. O coração é responsável pela circulação sanguínea e o intestino delgado tem como função absorver os nutrientes e minerais provenientes dos alimentos.

Cuide do seu Coração

O coração é o “maestro da orquestra”, segundo a MTC, pois é ele que comanda o sangue, os vasos sanguíneos e governa as atividades mentais (pensamentos), o espirito (Shen – manifestação exterior da vitalidade do corpo), a consciência, a memória e o sono. Já o intestino delgado separa o puro do impuro.

Ao cuidarmos do nosso coração, estamos, igualmente, a cuidar de nós próprios, da nossa saúde e bem-estar. Desequilíbrios no coração podem originar doenças coronárias, responsáveis por milhões de mortes prematuras por ano em todo o mundo.

É certo que à medida que a idade avança, cresce a probabilidade de ocorrência de doença cardíaca. Nos homens, o risco de doença cardíaca eleva-se a partir dos 45 anos, enquanto que nas mulheres esse risco aumenta a partir dos 55 anos.

Nada se pode fazer quanto ao género, idade e predisposição genética. Também é verdade que cabe a cada um de nós melhorar a nossa saúde e longevidade ao escolhermos um estilo de vida saudável de forma a diminuir fatores de risco, tais como excesso de peso, hipertensão arterial, diabetes, colesterol e triglicéridos elevados. Como? Através de uma dieta equilibrada, exercício físico regular, manutenção do peso ideal, não fumar e beber álcool com moderação.

Desperte para os desequilíbrios no seu coração

A alternância entre euforia e quebra generalizada de energia, pensamentos pessimistas e depressivos, bem como hiperatividade, comportamento sociais exagerados (contar piadas compulsivamente, nunca rir, falar alto, entre outros), vontade de contrariar, dificuldade em manter amigos e em partilhar sentimento, são alguns dos sinais visíveis de desequilíbrios no seu coração. Com certeza que já observou alguns em si e nos outros.

Existem, igualmente, sinais físicos de alerta, nomeadamente palpitações, insónias, abundância de sonhos, amnésia, agitação, rosto vermelho, boca seca, aftas, perturbações da mente, falar sozinho, olhar fixo, choro e riso sem causa aparente. E a lista continua… Pois é, alguns destes sinais nem sequer passariam pela sua cabeça como desequilíbrios que afetam o seu “maestro”, ainda que os conheça de forma empírica.

Pelo contrário, se o seu coração estiver saudável, sentir-se-á tranquila/o, terá pensamentos positivos, empatia e vitalidade. Para manter o ritmo afinado da orquestra dirigida pelo seu coração, cultive m estilo de vida saudável, respeite os ritmos da natureza e do seu organismo. Aumente o consumo de alimentos integrais e de origem vegetal, faça exercício com moderação (como caminhadas ao final do dia), evite o consumo de gorduras, açúcar, álcool, café, drogas ou tabaco. Durma bem.

Dê um passo de cada vez. Saia da rotina. Seja otimista. Pratique meditação e adote rituais de relaxamento. Ame mais!

 

CUIDE DO SEU CORAÇÃO

Em Portugal, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte e estão intimamente ligadas ao estilo de vida e aos hábitos alimentares, como comprovado por inúmeros estudos científicos.

A alimentação conta…e muito

Para reduzir esta estatística, muitas organizações mundiais relacionadas com a saúde, incluindo a Organização Mundial de Saúde (OMS), apelam a que se adote uma alimentação mais cuidada, baseada no maior consumo de cereais, legumes, leguminosas, frutos, peixe e menor quantidade de carne e lacticínios. São recomendações preferíveis à alimentação corrente dos nossos dias, rica em alimentos processados e açúcar, verdadeiramente maléfica para o nosso organismo.

Ainda assim, não são as recomendações mais acertadas. Estudos recentes têm comprovado o que a Macrobiótica defende há muitos anos: o consumo de proteína animal e de gordura saturada, presentes na carne e nos lacticínios, é nocivo para o organismo humano e é responsável por muitas das doenças modernas que nos assolam hoje em dia, como é o caso das doenças cardiovasculares.

Um dos maiores estudos sobre doenças cardiovasculares até hoje realizado concluiu que o melhor regime alimentar é maioritariamente de origem vegetal, baseado em cereais integrais, vegetais, leguminosas. No entanto continuamos muito condicionados por uma indústria alimentar que vende padrões e fórmulas erradas de saúde, visando mais o lucro do que o verdadeiro bem-estar dos consumidores.

“Todo o excesso se opõe à natureza”

Esta frase, também atribuída a Hipócrates, poderia ter sido retirada de um manual de Medicina Chinesa. Para a milenar sabedoria oriental, toda a doença é sinal de desarmonia entre o Yin e o Yang, dois aspetos opostos que se completam entre si para um equilíbrio natural.

De acordo com a filosofia oriental, o primeiro passo para vivermos em equilíbrio e harmonia com o mundo consiste em encontrarmos o nosso próprio equilíbrio e harmonia. Se seguirmos o princípio do Yin e do Yang, viveremos saudáveis e em sintonia com a natureza.

Os antigos, que seguiam este princípio, eram moderados a beber e a comer, praticavam atividade física regular e não cometiam excessos. Assim, gozavam de saúde física e mental e viviam até idade avançada. Atualmente, vivemos a mil à hora e adotamos hábitos que comprometem seriamente a nossa saúde. Precisamos, urgentemente, de reaprender a escutar-nos, a respirar e a comer.

Prevenção pela Medicina Chinesa

O objetivo da medicina chinesa é a prevenção, ou seja, diagnosticar estes desequilíbrios antes do aparecimento da doença. No entanto, quando esta já está instalada, cabe-lhe promover a recuperação do equilíbrio.

Esta visão holística do individuo (de diagnóstico e de tratamento) permite tratar a pessoa e não apenas o sintoma. O sintoma pede-nos sempre mudanças e não analgésicos. É preciso escutá-lo e identificar a causa do desequilíbrio. O tratamento irá atuar nos sintomas, mas também na causa do mesmo.

A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) entende o indivíduo como um todo e a saúde como um dinâmico e ténue equilíbrio entre os aspetos físicos, mentais, emocionais e espirituais da sua vida, bem como do seu relacionamento com o meio em que vive. Através de diferentes terapêuticas, regulariza o fluxo energético, equilibra mente e corpo, permitindo ao organismo a auto preservação, essencial para retardar o envelhecimento, prevenir e tratar doenças.

Após 25 anos de pesquisas em prestigiadas instituições do mundo, a OMS reconhece a eficácia da acupuntura, como uma medicina “cientifica” no tratamento de diversas afecções, nomeadamente do coração, tais como: hipotensão, hipertensão, angina, doença cárdio-pulmonar, entre outras. Para a Acupuntura, um dos pilares da MTC, a prevenção é fundamental.

“Os Alimentos Também Curam”

Hipócrates, o pai da medicina, já afirmava: “Faça do alimento o seu medicamento”. A estreita relação que os alimentos têm com a saúde do organismo, tanto na sua manutenção, como na sua recuperação, foi sempre observada. Hoje está amplamente comprovada e divulgada.

Seguir uma alimentação Macrobiótica padrão contribui, logo à partida, para um fortalecimento da saúde do seu coração e aparelho circulatório. Siga, especialmente, as seguintes indicações:

Cultive um estilo de Vida Saudável

Abandonar hábitos nocivos, fazer escolhas sábias e estar aberto a fazer pequenas mudanças são os passos que necessita dar para seguir o seu coração:

Consulte um especialista e faça um diagnóstico da saúde do seu coração. Cuide do seu amigo do peito. A sua saúde agradece!

*Artigo escrito com a especial participação de Francisco Varatojo, do Instituto Macrobiótico de Portugal (IMP). Saiba mais em www.institutomacrobiotico.com

SEGUNDA A SEXTA 9.00 - 19.00
Cart Menu Button Icon0
Carrinho de compras