fbpx

FORGOT YOUR DETAILS?

stress

STRESS : COMO TRANSFORMÁ-LO EM ALIADO! 

STRESS : COMO TRANSFORMÁ-LO EM ALIADO! 

O stress faz parte das nossas vidas, quer queiramos ou não. O nosso sucesso depende de como lidamos com ele. Compreendê-lo para transformá-lo em nosso aliado é, pois, imperativo para que possamos viver cheios de energia e recursos para os desafios diários.

Razões porque devemos controlar o stress

Todos nós enfrentamos momentos de pressão ao longo da nossa vida. Nestas alturas, o stress em pequenas doses é um excelente aliado. O denominado Eustress mantem-nos alerta para desempenho as nossas tarefas de forma eficiente e defendermo-nos de situações que possam nos prejudicar. Por exemplo, quando está a conduzir, o stress mantem-no concentrado para evitar acidentes.

Contudo, existem momentos em que a pressão é difícil de suportar. As exigências físicas e emocionais são enormes. O stress acaba por nos prejudicar quando o experienciamos durante demasiado tempo. Estamos perante o distress, causado por uma descarga no cérebro. A distração, impaciência, desorganização, dificuldades em definir prioridades e em gerir o tempo acabam por fazer parte do nosso quotidiano e afetar o desempenho pessoal e profissional.

Os momentos de maior stress levam a uma reação no nosso organismo que se mantem ativa ao longo do tempo. As hormonas produzidas pelo stress, a frequência cardíaca e a pressão arterial permanecem elevadas mesmo após o termo da crise. Uma exposição prolongada ou repetida ao stress leva a uma pressão exagerada sobre o corpo. O risco de doenças cardíacas, obesidade, infeções, depressão e problemas de memória são um risco.

Sobrevivência como imperativo

Milhares de anos de evolução ensinaram a parte superior do nosso cérebro, responsável pelas inúmeras tarefas do ser humano, a ignorar os sinais de distress da área inferior dedicada à sobrevivência. Os riscos associados ao stress estão ausentes enquanto o comando se mantiver na parte superior do cérebro. O problema reside na sua sobrecarga. Começamos a sentir medo, a duvidar de nós próprios e a questionar a nossa capacidade. Nessa altura, a dinâmica entre as regiões superior e inferior inverte posições e surge uma nova dinâmica – modus operandis de sobrevivência. A zona inferior do cérebro que governa as nossas funções básicas, como o sono, a fome, o desejo sexual, a respiração, a frequência cardíaca e as emoções assume o comando e passa a dirigir a área superior.

Resultado: o nosso cérebro é apanhado num turbilhão neurológico negativo e reduz a sua habilidade de pensar claramente. Os acessos de raiva ganham forma, culpamos os outros e autossabotamo-nos. Ou, caímos na negação e ignoramos os problemas. O distress consome-nos…

Claro que todos nós reagimos de formas diversas. Há pessoas com maior resistência do que outras, que conseguem lidar melhor com situações de maior stress. No entanto, sob determinadas condições, o distress pode ser fortemente prejudicial à nossa saúde física e mental, levando a uma quebra acentuada de rendimento. Em casos extremos poderá levar ao colapso ou a um burnout (esgotamento).

 Como controlar os efeitos negativos do stress?

Através de uma abordagem holística de nós mesmos enquanto seres humanos: corpo, mente (emoções) e energia. É preciso aprender o equilíbrio entre o stress e a recuperação destes três elementos, como se de um atleta se tratasse.

Os resultados aparecem com o desenvolvimento de competências de suporte, como o foco, a resistência, a flexibilidade e o autocontrolo, pois estas facilitam a aquisição e o desenvolvimento das suas competências profissionais e pessoais. Ao aumentar a sua capacidade de mobilizar energia em todos os níveis irá potenciar os seus talentos e competências, de forma a sustentar um elevado desempenho rumo ao Sucesso.

Segundo estudos na área desportiva, a capacidade de mobilizar energia é concretizada através do movimento entre consumo de energia (stress) e a renovação da mesma (recuperação). O stress é encarado como um estimulo para o crescimento. O problema está relacionado com a ausência de recuperação disciplinada. Stress crónico, sem recuperação, transforma-se em distress, esgota as reservas de energia e condiciona a saúde e bem-estar.

Claro que todos os dias nos deparamos com desafios. O ambiente externo é incontrolável. Podemos, no entanto, treinar-nos a gerir melhor o nosso ambiente interno (mente) e, assim, mobilizar mais energia para a remoção de obstáculos no ambiente externo.

A medicina tradicional chinesa é uma aliada no seu equilíbrio físico, mental e energético para potenciar as suas capacidades para prosperar em circunstancias difíceis e sair de períodos de maior stress com mais saúde e motivado/a para novos desafios.

TOP
SEGUNDA A SEXTA 9.00 - 19.00